25.8.07


"It's sometimes a mistake to climb, it is always a mistake never even to make the attempt. If you do not climb, you will not fail. This is true. But is it that bad to fail, that hard to fall?
Sometimes you wake up. Sometimes the fall kills you. And sometimes, when you fall... you fly."

(Neil Gaiman, in The Sandman )
Como sabes então o que vai acontecer? Não sabes. Tens de confiar no Sonho. Fugir só será pior...

Um comentário:

Gabi disse...

Oi...olá, menino dos olhos caramelos!
Resolvi te visitar:

"Os vidros traçam as pernas
de quem os inlaçam, enquanto somos apenas a vida de quem duvida do proprio vidro da vida. Ou o teto furado de um papo enrolado que nao leva a nenhum dos lados.Seja ou o teto furado, ou o papo enrolado, a gente sempre duvida do outro lado do vidro."

Beçus!
Que desenhes bons caminhos no outro lado de teu vidro...

Entra[saí]da - Manoel de Barros

Distâncias somavam a gente para menos. Nossa morada estava tão perto do abandono que dava até para a gente pegar nele. Eu conversava bobagens profundas com sapos, com as águas e com as árvores. Meu avô abastecia a solidão. A natureza avançava nas minhas palavras tipo assim:

O dia está frondoso em borboletas. No amanhecer o sol põe glórias no meu olho. O cinzento da tarde me empobrece. E o rio encosta as margens na minha voz.

Essa fusão com a natureza tirava de mim a liberdade de pensar. Eu queria que as garças me sonhassem. Eu queria que as palavras me gorjeassem. Então comecei a fazer desenhos verbais de imagens. Me dei bem.

[...]

1)É nos loucos que grassam luarais; 2)Eu queria crescer pra passarinho; 3) Sapo é um pedaço de chão que pula; 4) Poesia é a infância da língua. Sei que os meus desenhos verbais nada significam. Nada. Mas se o nada desaparecer a poesia acaba. Eu sei. Sobre o nada eu tenho profundidades.

Siente como Sopla el Viento